domingo, março 04, 2007

Eclipse... futebolístico e afins

Vamos ser claros na análise à importante vitória por 0-1 do Benfica frente ao Desportivo das Aves. Três equipas em campo: duas equipas em que o objectivo único foi destruir o jogo - Desportivo das Aves e equipa de arbitragem liderada por Jorge Sousa - e uma que se preocupou em jogar o possível perante as circunstâncias do "jogo" - Benfica. Não há volta a dar a isto.
Por muito fanático que se possa ser, o que vimos ontem foi um exemplo de uma equipa fraca que espera o ano todo pelo jogo com um verdadeiro clube grande para se tentar mostrar ao país. Caso o jogo fosse jogado com lealdade não tinha qualquer problema com isso, até porque já estamos habituados, agora com entradas duras mil com a complacência do árbitro medíocre do costume, assim já tenho algo contra!
Ao contrário da convicção de Neca no flash-interview, eu não tenho a mínima dúvida que este Aves, com esta mentalidade, pode-se já considerar como o principal candidato à descida de divisão!
Num jogo mau em que Nuno Gomes percebeu finalmente que só rematando se podem fazer golos, valeu claramente a conquista dos três pontos e a perseguição ao 1º lugar que está cada vez mais ao rubro.

Estádio do Clube Desportivo das Aves
Árbitro: Jorge Sousa (Porto)

Desportivo das Aves – Nuno; Anilton, William, Sérgio Nunes e Pedro Geraldo; Filipe Anunciação e Mércio; Paulo Sérgio, Hernâni (Diego Gama, 71 m) e Jorge Ribeiro; Octávio (Sérgio Carvalho, 67 m).

Benfica – Quim; Nélson, Katsouranis, Anderson e Léo; Petit, Nuno Gomes e Karagounis; Derlei (Paulo Jorge, 81 m), Miccoli (João Coimbra, 90 m) e Simão.
Ao intervalo: 0-0

Golo: Nuno Gomes (59 m)
Resultado final: 0-1

Cartão amarelo: Sérgio Nunes, Derlei, Octávio, Jorge Ribeiro, Petit, Nuno Gomes, Paulo Sérgio, Paulo Jorge e Quim.
Cartão vermelho (segundo amarelo): Sérgio Nunes (65 m).



PS: Queria ainda fazer notar o meu desprezo pela atitude (ainda que normal e habitual – ao que nos vão habituando) dos membros de uma claque nortenha que apenas demonstraram mais uma vez a essência que são feitos: uns verdadeiros energúmenos! Cada vez mais tenho vergonha que sejam portugueses como eu. Ninguém esperava que batessem palmas, ainda assim os verdadeiros adeptos do futebol e do clube em causa, aplaudiram de forma a abafar a cobarde e vergonhosa vaia dos referidos. Mau demais. Quero ver se certos comentadores que julgam ter a verdade absoluta acerca de tudo têm a coragem de apontar directamente com o dedo este tipo de comportamento.

|

Subscrever
Mensagens [Atom]