sexta-feira, março 02, 2007

Sucesso financeiro visto por Domingos Soares Oliveira

Domingos Soares Oliveira exalta sucesso financeiro.

“Temos as contas todas equilibradas”

A “menina dos olhos” de Domingos Soares Oliveira, administrador executivo da SAD, é o facto de ter atingido a estabilidade financeira.
“O grande marco neste início de novo centenário é o equilíbrio das contas. Temos todas as contas das várias empresas equilibradas. Esse é o nosso grande êxito!”, refere o dirigente, frisando que a sobrevivência do clube já não passa pela alienação de activos: “O Benfica reúne hoje condições para não necessitar de vender jogadores. Já é perfeitamente viável um Benfica sem venda de jogadores. O que tem cumprido com a banca permite-lhe apresentar um volume de receitas suficiente para respeitar todas as obrigações; mas para continuar progredir precisa do apoio dos sócios e patrocinadores.”

INVESTIMENTO: O administrador direcciona já olhar para um futuro a médio prazo, no qual o emblema vai poder realizar um investimento mais elevado no futebol.
“Temos de fazer crescer as receitas. O nosso papel não é transformar o clube numa máquina de lucro, mas é dotá-lo de capacidade para investir cada vez mais no futebol e na parte desportiva das modalidades. Não é coisa que se consiga fazer de um ano para o outro. Prevejo que a cinco anos de distância a facturação possa crescer muito, por forma a investirmos cada vez mais o futebol”, diz.

OPA ATRASA CANAL DE TV: Um factor externo ao Benfica tem mantido em banho-maria o canal de televisão, projecto tão caro ao elenco directivo do emblema da Luz. “Não conseguimos desenvolver muitas negociações enquanto a OPA da Sonae sobre a PT estiver a decorrer. O projecto do canal não está congelado mas tem vindo a arrastar-se. Espero que possa ter um maior desenvolvimento a curto prazo”, sustenta Domingos Soares Oliveira.

LIGA VALE MAIS QUE UEFA: A saúde financeira do clube está umbilicalmente ligada aos sucessos desportivos. “Todos os êxitos ajudam a consolidar o Benfica. Não podemos dizer que o emblema é indiferente aos êxitos, seja na UEFA ou na Liga. Creio que o campeonato é mais importante, desse ponto de vista”, explica o dirigente, sublinhando que o segundo mandato tem decorrido conforme o planeado: “Esta já é, sobretudo, uma fase de consolidação.”
in Jornal Record, edição em papel, 02-03-2007.
|

Subscrever
Mensagens [Atom]